Mario Quintana

Como diz o escritor Leonardo Schabbach, aí vai uns “causos de um grande autor”!
Pra quem adora Mario Quintana!!!!!!!!!


SORTE

ERA UM JOGADOR inveterado. Jogo do bicho, loto, sena, loteria- certamente seria “cliente” dos futuros bingos. Tinha até assinatura de bilhetes em uma tabacaria e agência lotérica da Rua Marechal Floriano. Acabou fazendo amizade com a balconista da tabacaria, Mara.

Algum tempo depois do atropelamento, precisou de alguém para cuidar dele o dia todo. Lembrou de Mara. Elena Quintana foi sondá-la, pois afinal seria um trabalho completamente diferente. Mas Mara topou na hora, e permaneceu ao lado do poeta durante mais de dez anos.

Ele costumava apresentá-la aos outros com a seguinte informação:

– Essa foi a única coisa que eu ganhei na loteria…

NO ESCURO
NOS ÚLTIMOS tempos gostava de ficar deitado no escuro, quieto, e queria que sempre alguém ficasse com ele. Um dia Elena protestou:

– Mas tio, o que que eu vou ficar fazendo aqui, nesta escuridão?

– Senta ai e simplesmente me adora…


Fonte: Na ponta do Lápis

Deixe uma resposta

Fechar Menu